sexta-feira, 15 de julho de 2011

Naquele momento

Aquele não era o dia dela.

Tudo parecia fora de lugar, indo na direção errada. Sentia vontade de simplesmente sumir, desaparecer e nunca mais voltar. Filhos, contas, trabalho, marido… tudo resolveu tirar uma com a sua cara.

E naquele momento até o carrinho do supermercado tinha batido no seu pé, e não é por nada, mas estava doendo muito!

Mas uma música começou a tocar no alto-falante.

Não era uma música qualquer, era aquela música. Sabe aquela que ela tinha vergonha de dizer que gostava na adolescencência? Brega, mas que em segredo ela ouvia com o fone de ouvido. Que juraria que era da sua mãe se os amigos encontrassem, mas que guardava o cd.

Ela se pegou pensando em como os adolescentes são tolos, se escondendo de coisas bobas para auto afirmação, perdendo tempo com bobagens, exatamente… exatamente como ela estava fazendo há pouco tempo atrás.

Então olhou em volta, viu outras mulheres como ela de cabeça baixa, olhando a tabela nutricional dos alimentos que compraria e com olhares perdidos e resolveu dançar.

Agora sem se preocupar do que os outros iam falar, sem medo de ser expulsa nem do supermercado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário